Devocionais Vida cristã

Você sabe quem eu sou?

Escrito por Aline Ribeiro

Não apenas no Brasil, mas em vários pontos do mundo, ouvimos histórias de pessoas que usam suas identidades para intimidar outras ou como uma forma de ficarem impunes. Em 2014, por exemplo, uma agente de trânsito foi condenada por ter multado um juiz que andava com um veículo em situação irregular. Essas são as famosas “carteiradas” e acontecem, inclusive, no meio cristão.

Líderes de ministério, pastores e outros cristãos no geral têm usado a máxima do “você sabe quem eu sou?” para permanecerem em seus cargos sem serem questionados. Até mesmo versículos bíblicos são usados para endossar o comportamento: “não toqueis no ungido do Senhor” (1 Cr. 16.21; Sl 105.15; 1 Sam 24.6, 26.9; 2 Sam 1.14). O status de um ungido parece trazer uma proteção contra qualquer coisa que estes façam ou falem. E esta autodeterminação mostra como a soberba, o orgulho e a arrogância ainda estão presentes em nosso meio.

Quero deixar claro, pastores devem ser respeitados. Pastores e líderes lutam com os lobos em prol das ovelhas, oram por nós na madrugada e são responsáveis pela saúde da igreja. Contudo, o pastor também deve estar preparado para responder, com humildade e mansidão, aos questionamentos que se levantarem, até para a credibilidade e confiabilidade de seu ministério.

Quando penso sobre isso, lembro de Paulo respondendo essa questão: “Você sabe quem eu sou?”:

Esta afirmação é fiel e digna de toda aceitação: Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o pior. Mas, por isso mesmo alcancei misericórdia, para que em mim, o pior dos pecadores, Cristo Jesus demonstrasse toda a grandeza da sua paciência, usando-me como um exemplo para aqueles que nele haveriam de crer para a vida eterna. (1 Timóteo 1.15-16 NVI – grifo meu)

Aquele que escreveu várias cartas que lemos na Bíblia, que foi encontrado e transformado por Cristo e intitulado apóstolo, que tinha autoridade sobre diversas igrejas se declara “o pior dos pecadores”. E ele fazia isso porque sabia que a obra é, sempre foi e sempre será de Jesus. Se não fosse por Ele, nada teria acontecido. Não era por Paulo e suas qualidades intelectuais (At. 22.3). Era por Cristo. Afinal, em Cristo, e somente n’Ele, somos Filhos de Deus, mais que vencedores, templos do Espírito Santo, reis e sacerdotes.

Sabendo disso, ele não se coloca em posição de superioridade em relação aos irmãos. Então, se o Reino se expande através de mim, não é por mim, é pelo Rei que trabalha em mim. O próprio apóstolo escreve “Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a vocês mesmos.” (Filipenses 2.3 NVI).

A Bíblia menciona a humildade inúmeras vezes (Pv 5.33, 22.4; Mt 5.5, 18.3-4; Rm 12.3; Ef 4.2; Tg 3.13). Minha oração é que quando pensarmos em perguntar para alguém “Você sabe quem eu sou?”, tenhamos em mente que somos pecadores transformados em pessoas melhores pela ação de Cristo em nossa vida e que sigamos o conselho de Paulo em outra de suas cartas:

Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. (Colosenses 2.13 NVI)

Amém.

Imagem destacada: 180110-D-SV709-0133, por James N. Mattis


Para perguntas ou pregações e palestras na sua igreja, entre em contatoNão esqueça de curtir a nossa página e inscrever-se no canal!

Facebook Comments

Sobre o autor

Aline Ribeiro

Cristã, bióloga, professora, bibliófila, meio nerd, meio escritora, meio pianista e, como a foto sugere, meio besta.

Deixar um comentário

Share This